Swipe left or right
to navigate

Katia Guerreiro

Quando chegou a Lisboa para estudar, com 18 anos, Katia Guerreiro trazia já na bagagem a tradição musical dos Açores, do Rancho Folclórico de Santa Cecília, onde tocava Viola da Terra. Estreou-se a cantar Fado no sítio certo: uma casa de fados lisboeta, numa noite dedicada aos guitarristas, mas em que foi permitido à “miúda estudante de medicina” inaugurar a voz.

Cerca de um ano depois, em 2000, encantou o Coliseu num concerto de homenagem a Amália Rodrigues, no que viria a ser o momento charneira para a sua carreira de fadista.

Desde esse dia gravou dez álbuns e é hoje uma das maiores embaixadoras da cultura portuguesa no mundo; foi interpretando, no seu repertório, alguns dos nossos maiores poetas: Camões, Florbela Espanca, Ary dos Santos. O seu álbum de estreia, “Fado Maior”, entrou para o top de vendas na Coreia do Sul. Tem representado Portugal em diversos festivais internacionais de Música do Mundo e os seus concertos em nome próprio são um enorme sucesso, da Europa à Ásia. Em 2017 partilhou o palco do MEO Arena com um dos artistas que mais admira, Plácido Domingo.

O seu último álbum, “Sempre” (2018) produzido por José Mário Branco, que participa ainda no tema “Quem Diria”, valeu-lhe a nomeação para Melhor Disco de Fado nos PLAY - Prémios da Música Portuguesa.

Nomeações
  • Melhor Álbum Fado

Katia Guerreiro